TopFranquicias España ESPAÑA       TopFranquicias Portugal PORTUGAL        MÉXICO      

Procura de Franchising


ranking franchising
os mais lucrativos
baixo investimento
franchising premium
os mais inovadores
novos franchising
franchising de sucesso

Lista de Notícias

Lista de Notícias da Economia

Subscreva-se ao Boletim
 
Nome:
Apelidos:
e-mail:
C.P.:
 



Entrevista Beatriz Rubio, CEO da RE/MAX Portugal
Que balanço faz de 2010?
O balanço é, claramente, positivo. Registámos um crescimento de 32% em volume de comissões e crescemos 18% em número de transacções. O valor total das casas transaccionadas também cresceu, atingindo 1.800 milhões de euros, mais 25% do que em 2009. Assinámos 28 novos contratos de franchising e abrimos oito novas agências. Foi, de facto, um ano importante até porque conseguimos atingir a meta que ambicionávamos: 20% de quota de mercado. Crescemos em contra-ciclo com o mercado e, como tal, reforçámos a nossa posição e consolidámos a marca como referência no sector imobiliário. Agora estamos 100% focados em 2011 e nos desafios deste ano difícil para todos os portugueses.


Como se repartiram vendas e arrendamentos e quais as zonas em que mais transacções realizaram? Quais as tipologias que têm mais procura?
Em 2010, concretizámos 31.650 transacções sendo que 64% foram vendas e 35% arrendamentos. Embora os arrendamentos tenham crescido 12% face a 2009, em termos de peso total perderam três pontos percentuais ou seja, a venda continua a crescer e a representar a maior fatia do nosso negócio. Em termos de zonas, o distrito de Lisboa continua a ser a região onde a RE/MAX realiza mais transacções (cerca de 32%), seguida da zona Norte e da Linha de Cascais com valores na ordem dos 17 e 13%, respectivamente. No que se refere a tipologias, as mais vendidas foram os T2 (cerca de 43% do total), seguidos dos T3 (30%) e T1 com 18% do total.
O segmento de luxo é uma área em que estão a investir através da RE/MAX Collection. Que balanço faz deste segmento específico?
É um segmento que trabalhamos através de uma rede de agentes especializados e com ferramentas adaptadas às características e necessidades específicas destes clientes. Em 2010 o segmento residencial de luxo movimentou mais de 77 milhões de euros, o que traduz um crescimento de 9% face ao ano anterior. É um mercado que, regra geral, é menos afectado pelo impacto das crises económicas, o que constitui um aliciante para os vendedores especializados em venda de imóveis de luxo. Exige uma abordagem diferente do mercado e do cliente e ferramentas específicas de marketing, criadas especialmente para o efeito. Temos uma rede de cerca de 143 agentes com formação específica para trabalhar o segmento de luxo e queremos aumentá-la para chegar, até final deste ano, aos 250 agentes. Essa é uma das apostas para 2011.
Como explica o crescimento e reforço de quota da RE/MAX numa conjuntura que parece adversa à actividade imobiliária? Continua a ser um mercado em que vale a pena investir?
Sim, sem dúvida. É um mercado muito aliciante, com potencial de crescimento. Apesar da quebra que se tem registado no número de operadores imobiliários, o mercado português ainda é constituído por muitas pequenas empresas cujo principal problema reside na dificuldade em reter os bons vendedores. Estes têm tendência para sair e abrir a sua própria agência que acaba por funcionar exactamente nos mesmos moldes. Isto pode gerar a ideia de que o mercado está saturado, mas o facto é que 40% das transacções imobiliárias em Portugal ainda são realizadas directamente entre o comprador e o proprietário ou seja, ainda há 40% do mercado para conquistar. Num cenário de maior dificuldade em vender, os particulares acabam por optar pelo apoio dos profissionais e aí são as marcas com maior notoriedade, maior cobertura e melhores resultados, que conquistam mercado.
O que diferencia o vosso modelo de negócio das outras redes de mediação?
O principal factor de diferenciação é o modelo de gestão que gera vantagens para todos os intervenientes: clientes, mediadores e agências. Os agentes RE/MAX são os que obtém a maior comissão do mercado, são donos do seu próprio negócio, escolhem o seu horário e quando querem trabalhar. Estamos também muito focados na formação e no serviço ao cliente – queremos entregar ao cliente soluções e um serviço de elevada qualidade que traga resultados e que fidelize o cliente. Somos uma rede muito forte no desenvolvimento de novas ferramentas de apoio ao negócio o que permite ganhos de eficiência. Somos uma rede centrada no cliente, com um ADN próprio e muito motivada. Investimos na nossa marca e na comunicação das nossas soluções o que gera maior conhecimento e notoriedade junto do mercado e permite uma maior captação de clientes que nos vêem como primeira referência no sector.
Ainda existem zonas de expansão disponíveis? Procuram novos franchisados?
Sim, ainda há espaço para crescer e queremos fazê-lo em especial na zona Norte – a nossa primeira prioridade – e Centro onde procuramos novos parceiros sejam eles investidores que entram no negócio pela primeira vez, sejam profissionais do sector que decidem associar-se a uma rede com cerca de 4.000 mediadores e mais de 220 agências em todo o país.
Quais as suas perspectivas para o sector em Portugal a médio e longo prazo?

O sector tem registado, na última década, um crescimento na implantação de redes de mediação profissionais e uma melhoria decorrente na qualidade dos serviços prestados. Penso que a próxima década traduzirá uma consolidação das redes que melhor consigam adaptar-se às necessidades e variabilidades do sector e que ofereçam, claramente, o melhor serviço ao cliente – tanto em termos de qualidade como de diversificação de soluções.

Que metas definiram para 2011?

Vamos centrar a nossa actuação no serviço ao cliente, na fidelização e na garantia de qualidade. Queremos evoluir de clientes para fãs da marca e isso só se consegue com um serviço eficaz que exceda as expectativas. Até 2014 a nossa meta é duplicar a quota dos actuais 20 para 40% do mercado. Para isso temos que aumentar as nossas equipas, dotá-la de mais competências e de continuar a apostar em soluções voltadas para a resolução dos problemas dos nossos clientes.


Veja o perfil dessa franquia


PARTNERS:

Bestfranchising Consulting   Aviñal Abogados   Franchise Magazine   Vieira   APF   ACB Braga   New Alliance   FERPOS   Millenium bcp

O melhor directório de franchising na web organizados por sector e actividade. Nosso sistema de procura põe à sua disposição todas as oportunidades de negócio do mercado com a lista de franchising mais completa de Portugal. Confira a informação a respeito dos sectores de seu interesse. Encontre o negócio que mais se ajuste às suas necessidades com ajuda de nossos assessores. Obtenha grátis o seu plano de viabilidade económica e registre-se em nosso boletim de notícias especializado em franchising.


Rss de TopFranquicias.es BestFranchising.pt Todos os direitos reservados 2013 - Sobre uso de dados pessoais

Telemóvel: 00351-91-3305139

Tarifas bestfranchising